sábado, 20 de novembro de 2010

Patadas Tapadas

Entre patadas tapadas
e muitas risadas
e muita desilusão
Passos alucinados
e sapos guardados
no fundo de velho caixão

Como, como, como, como dizer... não?
Como, como, como, como dizer...
Que tudo foi em vão?

Tapas de patas marcadas
de garras e dentes
e presas, latentes
de sabres luzentes
de firme marfim

[20/8/02]
---

canção obviamente incompleta.

2 comentários:

Rafael F. disse...

Cara, achei isso muito interessante.

O "firme marfim" foi um final maravilhoso.

Lobz Wolblood disse...

Foi? Por quê?