quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Hoje vou falar mal do resto da blogofórumsfera

Às vezes eu vou procurar alguma coisa na internet e caio num fonte de blogs e fóruns discutindo o assunto, e eu fico impressionada com como as pessoas fazem discussões totalmente desinteressantes na internet.

À vezes eu passo pelo mesmo assunto dez vezes, e os assuntos são digamos polêmicos, como Deus, Destino, Homossexualidade, Liberdade, e eu me impressiono com como as opiniões são sempre as mesmas, com como os comentários são sempre pontuais e pouco elaborados, como se as pessoas sentissem necessidade de sempre expressar as opiniões contrárias mas nunca de realmente tentar convencer os outros, ou como se as pessoas argumentassem pelo simples dever de argumentar, mas nunca tivessem realmente parado para pensar.

Eu me impressiono com os assuntos também, como as pessoas discutem mil vezes os assuntos que eu já decidi mil vezes que não valia mais a pena discutir se não fosse para discutir muito sériamente, porque são assuntos que já foram discutidos mil vezes e que de certa forma nunca chegam em nenhuma resposta — mais que isso, não levam a nenhum engrandecimento pessoal. E as pessoas tiram postulados do cú, descrevem o mundo como se todo mundo concordasse com elas, fazem questionamentos mas na verdade nunca param para pensar de onde elas tiraram aqueles questionamentos, são perguntas clichés em relação a assuntos clichés.

Entendam, não estou falando que tudo o que dizem é bobagem. Muitas vezes uma coisa ou outra é muito interessante, ou é algo em que por acaso eu nunca havia pensado, mas é incrível como há gente que mesmo assim não desenvolve o assunto, que apenas pincela alguns assuntos e não articula aliás nem relaciona or argumentos dentro do próprio texto. E também é incrível como as respostas a esse tipo de texto quase sempre são no mesmo nível de profundidade do texto ou ainda mais raso, como questionam só as coisas mais óbvias, como às vezes sugerem coisas interessantes mas nunca sequer relacionam a idéia com o questionamento do texto.

Toda vez que eu faço isso eu me assusto, sinto um certo desprezo e me envergonho até da minha prepotência, em achar que os assuntos que eu discuto são mais fundamentais ou mais interessantes ou em achar que eu os discuto com mais profundidade e menos clichés. Mas eu com certeza discuto com menos clichés: a prova disso é justamente que eu me sinto mal com o excesso de pensamentos clichés.

Às vezes me parece que de fato o mundo está cheio de figurantes.

3 comentários:

Tito Peçanha Leitão disse...

Essa coisa de discussões costuma me incomodar também.
Mas a questão é que eu geralmente levo as discussões muito a sério, e as pessoas se sentem ofendidas por isso.
há uma certa cordialidade que faz com que as pessoas parem num certo ponto. chamo isso de cordialidade por que há uma confusão entre a revisão do argumento (crítica) e a desqualificação do sueito (ofensa).
pelo menos é como eu leio as coisas. escrevi um post sobre isso no meu blog depois de uma longa discussão com um bando de blogueiros babacas (o post chama algo como "lets call the whole thing off" se você quiser dar uma olhada)

Tito Peçanha Leitão disse...

eu tentei iniciar alguma discussões sérias no meu blog.
algumas deram certo e outras foram simplesmente ignoradas.

mas fico feliz que algumas deram certo.
levei muito a sério, por exemplo, a questão da cura da homossexualidade, e acho que sairam coisas legais.

acho que talvez essa minha perocupação toda com discussões qualificadas vem em grande parte do que eu estudo. procuro sempre ver opiniões mais consolidadas sobre as questões e trazê-las para a arena.
esse meu último post sobre anarquia tinha essa intenção mesmo, embora ache que ninguém vai ler o que eu recomendei.

- Ixa - disse...

Algumas das vezes que eu mais me senti em contramão do mundo foi em momentos de discussões sérias. Sérias, só pra mim. Eu costumo levar tudo a sério.

As pessoas simplesmente não colocam esforço. Em nada. Discutir o superficial é mais fácil, falar mal do Brasil, do partido vigente, das crianças que se vestem de emo.. Dá ibope, te faz parecer intelectual, importante.

Citar um escritor famoso também. Ou meio de comunicação. "A Veja Disse..".. Fôda-se.

Colocar idéias próprias, não aceitas, pensar.. Ninguém faz isso. Nem na vida. Muito mais na internet, na qual as pessoas nem conseguem digitar?