sexta-feira, 4 de março de 2011

Rapaz,

eu me sinto meio triste, porra. E com vontade de falar apalvrão. Ultimamente eu tenho falado porra caralho merda sem nenhum motivo. Como se fizesse parte do meu vocabulário, e acho que faz.

Acho que ultimamnte eu tenho trocado muitas letras de lugar também.

Rapaz, eu estou tão desanimada. Não sei se é sono, maus hábitos alimentares e o diabo a quatro ou se é só saco cheio mesmo. Vontade de ir estudar na praia. Vontade de mandar tudo isso à merda. Vontade de me apaixonar perdidamente pelo que eu fizer. Estou horrivelmente cansada. Devem ser os hábitos alimentares.

De fato tenho perdido um número surpreendente de jantares. E quase não tomo mais café da manhã. Não dá tempo de fazer tudo o que preciso e ainda comer. Não consigo administrar minhas necessidades. Esta semana ainda nem fui no aikidô, e não sei se vou amanhã. Acho que eu devia, só pra exercitar um pouco.

E ao mesmo tempo estou desanimada com outras coisas, com a faculdade que mal começou, com ter que trabalhar, com o meu enfado com a matemática, e por que eu não posso continuar gostando da mesma coisa por mais de seis meses?

...

Eu sinto falta de algo.
Eu sinto falta de conquistar o mundo, eu acho, mas não é só isso.
Eu sinto falta de um monte de coisas que eu nunca tive, e que hoje em dia eu não sei se é possível ter. Tipo um apelido de faculdade, algo assim. Somewhere to belong, or somewhere to begin. All I can see around me are endings and goals and I don't feel like I have a home.

Um comentário:

Yuri disse...

O negócio é que se vc nunca teve e nem sabe se é possível ter, talvez esteja pensando em algo q realmente não vale a pena. Talvez esse tipo de pertencimento ou esse tipo de ponto de partida simplesmente não sejam viáveis como você imagina.
Em vez de conquistar o mundo, deixa o mundo te conquistar. E acho que é tudo um pouco mais fluido.