sexta-feira, 18 de março de 2011

De fato, estou meio cansada

Este estágio me deixa cansada. É pior quando não estou fazendo nada e fico enrolando, como agora. Isso não é justo. Eu deveria ser capaz de aproveitar meu tempo. Ou isso ou ir pra casa. Tenho mais o que fazer!

Tenho lido o twitter enquanto espero. E xkcd. Li essa tirinha hoje e twitei sobre ela, mas acho que é um pouco estúpido twittar pq acredito que ninguém presta atenção. Mas eu sempre acho que ninguém se interessa pelo que eu digo. Mesmo agora, estou apenas começando a acreditar quando o meu gato diz que se interessa por tudo o que eu digo. Eu achava que isso era impossível. Eu estou sempre preocupada demais comigo mesma, com coisas que parecem só interessar a mim, com a minha visão de mundo que discorda de tudo o mais e etc. Não sei porque alguém não me dá um tapa. Não, sei sim. É que não sou mais criança.

Não sou mais criança e por isso as pessoas devem achar que eu posso ser quem eu quiser. A pessoa que discorda disso é minha mãe, mas não tem como argumentar com ela. Mães têm o hábito de ser assim, de não saberem diferenciar a vida dos filhos da própria. Eu faço questão de não acreditar na visão de mundo da minha mãe. Somos simplesmente diferentes demais.

Mas, já que estamos nisso, mamãe me protegeu outro dia quando minha tia disse que eu era mais irresponsável que a Talita (não é muito difícil, mas foi o modo como ela disse isso). Mamãe disse "Ela não é irresponsável! Todo mundo entende mal a Marina. Ela não é irresponsável," - e aqui a coisa começa a degringolar - "ela é distraída, muito distraída, por isso que eu não quero que..." - Eu não lembro o que ela disse depois, talvez porque a Nanala a interrompeu, mas acho que talvez ela tenha falado mais coisas e eu simplesmente não quis ouvir. Eu não quero ouvir, mãe. Cale a boca.

É muito ruim eu não querer que minha mãe fique me criticando irrequisitadamente?

Mas gostei do que ela disse, "Todo mundo entende errado a Marina". E eu gostar disso é péssimo, significa que além de tudo eu gosto de achar que ninguém me entende, que eu ainda tenho que brigar e chutar e rosnar pra defender a minha visão do mundo. Que merda, eu estou lutando não por um mundo, mas por uma forma de enxergá-lo. Será que vale a pensa dedicar minha vida a isso?

Acho que eu só quero ter algo pelo que lutar. Talvez eu só queira saber que tem pelo menos uma coisa pela qual eu posso lutar e não ser derrotada nos primeiros cinco minutos. Alguma coisa que importa. Alguma coisa que não vai me fazer me sentir completamente inútil dentro de uma semana quando eu perceber que não faço nenhuma diferença. Behold me, a widely frustrated person.

Agora eu vou parar de me lamentar como um emo e falar de alguma coisa imbecil pela qual só eu me interesso.

Um comentário:

Hita disse...

.-.

Não sei se vc sabe, mas vc costuma falar coisas bem interessantes sim.
Pelomenos pra mim, que me interesso em saber como os outros vêem o mundo.