quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Halls

Porque você é minha irmã, mesmo que ainda não saiba. E diz-se que não. Não.

Eu vejo essas ondas negras caindo nos seus ombros, e me pergunto. Às vezes a gente se sente meio errado. Como, por exemplo, quando você se pergunta se deveria parar de tomar banho com meninas também. E você evita olhar para elas, e você se pergunta, porque você está na dúvida. E você trata tudo como se fosse natural, homens, mulheres, amigos, tudo é tão normal. Mas você ainda se pergunta.

E você rosnou na minha frente e por dentro eu ri de satisfação, e eu tinha acabado de te conhecer. Foi tão natural e você parecia tanto um filhote mordendo a orelha dos animais mais velhos. E eu entrei naquele bando sem saber que você estava nele, e você me mostrou boa parte do que aquelas pessoas são de verdade. Mordendo a orelha do seu irmão mais velho, como se vocês nunca precisassem deixar de ser crianças juntos. Você é minha irmã, embora eu nunca tenha te dito. Porque você é, e isso é inevitável. Tinha que acontecer. E você combina tão bem comigo. Às vezes eu me esqueço de fazer o que eu fui aí fazer porque você está lá e a conversa flui tanto. E você acredita nas mesmas coisas que eu, e tem a mesma vontade de proteger certas coisas, coisas que são importantes. Você é importante.

Um comentário:

Hita disse...

flui como um olhar...