quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Ficou na cabeça...

Um dia você veio aqui, a gente conversou
Lá pelas tantas você me perguntou uma coisa assim:

— Você não acha que a certeza de que você sempre pode encontrar alguém pra namorar faz você valorizar menos essas pessoas? Se você pode conquistar qualquer pessoa, você não deixa de dar valor para o amor que você já tem?

Não sei se foi isso mesmo, mas fiquei com a sensação de que foi isso.

E é claro que a resposta é não. Se você vivesse numa ilha deserta com só mais uma pessoa, você amaria mais essa pessoa? Você daria mais valor a ela por isso? Talvez. Mas esse valor seria realmente válido? Se você estivesse quase sozinho, as pessoas que estivessem com você mereceriam mais o seu afeto?

Eu acho que não, eu não amaria mais uma pessoa só pela falta de opção. Eu me resignaria, possivelmente. Eu a trataria bem, talvez. Mas quer saber? Eu não ia achar ela melhor por isso. Talvez eu fosse má com ela também, afinal, a gente poderia brigar, passar meses separados, e ainda haveria um jeito de se reencontrar, por falta de opção.

Eu de fato confio menos na atenção de pessoas que acham que não têm, ou parecem não ter, outras opções. Eu me pergunto "será que ela está do meu lado só porque não encontrou quem realmente queria?". Não que eu não goste de ter a atenção de pessoas mesmo nessa situação, mas não acho que seja uma coisa necessariamente boa.

...

Só pra deixar as coisas claras, eu não disse exatamente que eu podia conquistar quem eu quisesse. O que eu disse foi que eu arranjo namorado muito fácil, mas isso é em parte porque eu me apaixono fácil por quem gosta de mim. Por um lado, sim, eu acho que isso contribui para eu não acreditar muito em namoro, porque eu sei que eu poderia estar feliz com outra pessoa, porque eu me conheço. Por outro lado, eu não preciso estar com você. Se você me largar, eu vou ficar triste mas eu vou sobreviver. Mas toda vez que eu te machuco por um motivo ou por outro, eu corro atrás de você pra pedir desculpas, pra te reconquistar (bom, quando eu noto -- eu sou meio tapada, ok). Eu não preciso fazer isso. Eu faço porque eu te amo.

Então, tipo, eu realmente acredito que ter outras possibilidades sempre torna mais valorosa a escolha que você fez, aquela que fecha todas as outras possibilidades. Só é difícil às vezes entender exatamente que escolha é essa.

2 comentários:

Utak disse...

Agreed.

Yuri disse...

Conjecturas. Nem acho que amar mais ou menos seja uma questão. Amar e ponto.